Nova marca de cosméticos lança produtos à base de óleo de avestruz

Você já ouviu falar do óleo de avestruz? Sabe do que ele é capaz? Pois é. Uma nova marca de cosméticos está lançando produtos à base dessa substância e promete revolucionar o setor de dermocosméticos (produtos que levam princípios ativos às camadas mais profundas da derme, proporcionando benefícios à pele).

A Ostrich Cold Cream, localizada em Cuiabá (MT), tem ganhado espaço no mercado de cosméticos por conta da matéria-prima nada convencional por aqui, o óleo de avestruz. Os diversos cremes e hidratantes da marca são criados à base do óleo de avestruz, substância retirada da gordura do animal, rica em ômegas 3, 6 e 9, além das vitaminas D e E.

Com propriedades hidratantes, cicatrizantes, tonificantes, antiinflamatórias e analgésicas, o óleo é conhecido por conta de sua eficácia e se tornou muito popular na Europa.

A empresa atua nesse segmento desde março de 2010. A empresária Tânia Kramm da Costa, de 32 anos, está por trás do conceito da Ostrich Cold Cream. Mestre em Marketing pela Universidade de Viena, na Áustria, Tânia morou no país durante 13 anos. “A ideia inicial de abrir a empresa veio do meu pai. Mas foi durante o tempo em que estive na Europa que decidi investir nessa ideia”, conta.

Tânia contou que o óleo de avestruz é muito utilizado como medicamento no continente europeu, sendo, inclusive, indicado pelos médicos de lá. Mas os criados por ela, são bem diferentes. “Na Europa, o óleo é vendido puro. Nós vendemos produtos criados a partir desse óleo”, explica. O óleo é a base dos hidratantes, protetores labiais e até cremes de hidratação capilar. “As propriedades são as mesmas que as do óleo puro, e são até mesmo intensificadas”, acrescenta Tânia. Isso porque ela utiliza outras substâncias para acentuar as propriedades específicas de cada produto.

O sucesso do óleo no exterior fez com que a empresária decidisse voltar ao Brasil, no final de 2008, para investir nesse mercado. A empresa, então, construiu um laboratório para desenvolver os produtos. Foram dois anos de estudos, pesquisas e testes de eficácia até que os cremes e hidratantes chegasse ao formato atual. O objetivo, segundo Tânia, é criar cosméticos 100% naturais e hipoalergênicos que possam ser utilizados em tratamentos de saúde. “Os protetores labiais, por exemplo, têm sido muito indicados por dentistas, por serem muito eficientes em evitar o ressecamento e a rachadura dos lábios”, afirma a empresária.

A Ostrich possui um criatório próprio com cerca de 400 matrizes. Os animais recebem uma alimentação elaborada pela própria empresa para garantir a qualidade da gordura que dá origem ao óleo. As aves são abatidas após cerca de um ano e a empresa fica apenas com uma espécie de bolsa, localizada na região abdominal da ave, onde a gordura fica acumulada – a carne é vendida a restaurantes e hotéis e o couro e as plumas são vendidos para outras empresas. Depois de extraída, a gordura é filtrada diversas vezes, além de passa por outros procedimentos, até gerar o óleo puro. “Para se ter uma ideia, cada bolsa pesa, em média, 15 quilos, e ao final de todo o processo apenas 6 litros de óleo são obtidos”, destaca.

Todos os cosméticos são feitos à base do óleo, com exceção dos aromatizantes de ambiente e do body splash, que são de outro segmento. Considerado o carro-chefe da empresa os bálsamos, são os produtos que contêm maior concentração do óleo, intensificando suas propriedades. “O óleo é muito eficaz para aliviar queimaduras, inclusive a pós-sol. Temos cremes que intensificam essa propriedade, além de outros específicos para diversos tipos de tratamentos, como o creme para os pés, indicado a pessoas com diabetes, creme para as pernas, voltado para pessoas com problemas de circulação (trombose, etc) e cremes de hidratação para cabelos”, explica. Agora, pirem! A Ostrich tem também um produto específico para a prevenção e diminuição de estrias e celulites, sendo uma espécie de ‘produto dois em um’!

Após assumir a empresa, Tânia tem investido na divulgação do produto em diversos Estados brasileiros. “Assumi a parte de marketing para fazer a empresa se tornar conhecida”, diz. Atualmente a Ostrich tem 80 produtos divididos entre os segmentos de cosméticos, feitos à base do óleo, e aromatizantes. “Tivemos um crescimento bastante significativo. Quando entramos no mercado, tínhamos apenas quatro produtos. Hoje, temos 80”, contou a empresária. Mas a empresa já está investindo em novas ideias. Um dos projeto que está sendo desenvolvido pela companhia é a criação de um hidratante à base de óleo de andiroba, que tem efeito repelente. A ideia é que o creme, que já está sendo testado por laboratórios credenciados pela Anvisa, tenha um preço bastante acessível e seja utilizado para combater o mosquito da dengue.

Se quiser saber mais sobre a Ostrich Cold Cream, clique aqui para ler a matéria que fiz para o site da Revista Globo Rural.

E você? O que achou dessa novidade? Você usaria esses cremes? Já usou algum dermocosméticos?

More about marinaknobl

Mari tem 24 anos, mora em São Paulo e é jornalista – mas às vezes pega uns freelas de design. É pisciana, palmeirense e apaixonada por comida japonesa. Adora gatos, The Sims e Milkshake, não necessariamente nessa ordem.